-->
  • Redução da contaminação microbiana no Biodiesel

    A União Brasileira do Biodiesel (Ubrabio) sugeriu, em audiência pública realizada pela ANP, que o teor de água no biodiesel passe de 500 ppm (partes por milhão) para 350 ppm em 60 dias, chegando a 200 ppm em janeiro 2013, junto com a entrada do S10. A ideia é que, com isso, a probabilidade de contaminação microbiana do biodiesel seja reduzida.

    Produtores do biocombustível, no entanto, contestam o tempo hábil para implementar a medida. A justificativa é que a adaptação de plantas necessitaria de licenças e autorizações que levariam mais de 60 dias para serem efetivadas. Os produtores alegam também que alguns equipamentos levam mais de 90 dias para serem entregues.

    Diante desses entraves, foi sugerido que o teor intermediário de 350 ppm seja eliminado. Assim, seria possível realizar as adequações a tempo de entregar o biodiesel com 200 ppm em janeiro de 2013, junto com o S10.

    Outro ponto de discussão foi a qualidade do biodiesel. O presidente da Associação de Produtores de Biodiesel (Aprobio), Erasmo Carlos Battistella, sugeriu uma padronização das análises de laboratórios, para que não haja conclusões divergentes.

    O representante do Sindicom, Ricardo França, sugeriu uma revisão do programa nacional do biodiesel e defendeu a criação de uma espécie de selo verde, que certificasse a qualidade do combustível.

    A audiência pública debate a minuta de resolução que estabelece a especificação do biodiesel comercializado em todo o território nacional. A audiência contou com contribuições de agentes do setor, como produtores, distribuidoras, sindicatos, além de sugestões de universidades, indústria automobilística e produtores de soja. As sugestões serão analisadas pela agência.
  • Você pode gostar disso